IT



Querem mais razões para não andar de carro? Se no futuro houver cidadão português que não queira ser monitorizado acerca da sua localização, é melhor que não ande em automóveis particulares…

O parecer sublinha que o mesmo decreto-lei "cai fora dos fins permitidos pela Lei n.º 60/2008, de 16 de Setembro, e contraria o direito à privacidade dos condutores qualquer emprego da identificação e detecção electrónica dos veículos para efectuar uma vigilância em tempo real ou a partir de registos sucessivos dos movimentos do condutor dos veículos, incluindo o caso de recurso à implantação de um número excessivo de equipamentos de leitura ao longo do trajecto efectuado".


A passada terça leu-se por todo o lado que já era possível usar o Google Transit com conteúdos para Lisboa, das redes da Carris e Metro.

Eu logo me questionei o porquê de não haver informação acerca dos comboios da CP, e hoje obtive a resposta. Numa conversa com uma responsável da CP, presente na feira-propaganda na FIL, ouvi que a Google não os convidou e no dia de apresentação oficial ela não pôde ir por ter já de ali estar. No seu entender será para breve que as linhas da CP estarão integradas também, e palpitou que talvez a Google Inc. tenha os evitado por a rede urbana da CP em Lisboa ser “mais complexa”.
Ora eu diria que não. Infelizmente a rede de Lisboa é até demasiado simples e tem uma “mão cheia” de rotas e horários.

Mas com isto ligo a outra nuance na notícia de terça: os cabeçalhos de que “Lisboa era 2ª na Europa”. Shame on you, jornalistas de copy-paste! É que bem claro na página principal do serviço se pode ler que há cidades de 8 países europeus, e que na Áustria toda a rede nacional foi disponibilizada pela congénere ÖBB. Era isto que já agora a CP também podia fazer. Melhor que pensar em como centrar a sua oferta apenas em Lisboa, mostre-nos toda a sua rede. É que acima de tudo, estar no google maps é uma publicidade brutal à sua oferta e ainda existe muita gente que pensa que não há comboios em Lisboa ou perto de si.

Ainda dentro do tópico “informação acessível sobre horários”, perguntei-lhe para quando algo como a aplicação java offline da DB. Disse-me que estão a desenvolver algo parecido. Será bem vindo algo que não implique custos num telemóvel (como o Google Transit).

Acabo a falar do Metro. Porquê não ter informação sobre horários? É que apenas frequências não chega para calcular soluções intermodais. É que assim não consegui encontrar qualquer percurso onde me fosse sugerido o metro. Mas noutro post hei de mostrar o que é possível em sistemas de metro que são mais do que galerias de arte.


Encontrei por acaso um projecto fascinante da Yahoo: Purple Pedals.

A ideia é ter uma bike que registará automaticamente em imagens por onde andará. Tecnicamente é fascinante pela simplicidade final com que “enfiaram” tudo em 2 caixas de metal, e em como tudo funciona sozinho sem necessitar de muito “baby-sitting”.

Gostava de pôr os meus pés numa destas e dar muitas voltas por Lisboa, ou melhor: fazer o próximo biketour nela!


Apanhei um anuncio na net que dizia: “Recebeu uma Multa? Está certo que é para pagar? Deixe isso com profissionais”

Ao entrar no site, entende-se logo a categoria de “serviços” a oferecer: escapar a multas através da experiências de “profissionais”.

Não sei se hei de rir das imagens: “velocidade?” e um carro desfocado junto a um sinal de limite 40 ; “telemóvel?” e uma foto clara de alguém com a mão no volante ; um sinal de alerta para peões (como se por sim só fosse já uma “ameaça”) ; carros antigos e desportivos ; autoestradas vazias ou com “trails” velozes ; um conta-quilómetros …

Depois venham perguntar porque morrem 2 tugas por dias nas estradas, ou outra pergunta do género…

A par disto, lembro-me de ter visto uma reportagem tv onde uma multa era descrita que nem uma outra inevitabilidade/consequência fora do controlo de quem “apanhava” agora com a crise. Era preciso é saber o que penhorar e onde, para pagar esta inesperada despesa.

Não excluo que haja multas injustas, mas não me parece que sejam a essas que esta empresa se quer referir. Lê-se bem que a pergunta induzida é “posso me livrar das minhas responsabilidades?”

E o que nós precisamos mais é de maior irresponsabilidade e sentido de impunidade nessas portuguesas arenas de asfalto…


Depois de ter sido utilizador das redes de comboio checas e alemãs, uma coisa que agora ainda mais me chateia é a dificuldade em saber os horários. Ainda bem que a CP é bem mais transparente que a carris ou o metro, mas pode-se sempre melhorar…

E que bom seria poder saber os horários dos comboios a partir do telemóvel, não? Não falo em acesso ao site “normal” em ecrã e velocidade reduzida, mas algo que fosse simplesmente texto e que pudesse evitar ao máximo os elevados custos da net móvel.

Ora bem, na Alemanha eu já usava uma aplicação que me satisfazia, e aqui a CP oferece o CPmobile (que li ter sido bom para cegos) mas que não funcionou no meu tlm. A razão deste post, é que experimentei comparar a base de dados da DB com a da CP e não encontrei assincronias (já vi o site da db ser usado em vez do nacional em estações fora da alemanha, mas não estava à espera que tivesse os comboios urbanos de Lisboa!). Isto significa que se os dados estão lá, qualquer um pode muito bem usar o excelente software java da DB no seu telemóvel.

Esta pérola está inicialmente em alemão, mas o idioma pode ser alterado para várias línguas excepto português, e funciona ainda melhor depois dum recente update.

Vantagens:

  • pode-se construir horários personalizados, pedindo uma origem e um destino. O programa liga-se UMA vez e descarrega todas as frequências. Depois, OFFLINE (leia-se: grátis), pode-se procurar os horários pretendidos. Pode ser no futuro, ou a super-útil função de “agora”
  • é possível ter as tabelas de partidas duma determinada estação (algo que muitas vezes é dificil de encontrar afixado em portugal)
  • há muitas outras funções a explorar, que provavelmente não funcionam em Portugal 😦

Desvantagens:

  • não se sabe quando a base de dados é actualizada e corrigida (CP->DB->tlm)
  • os mapas não funcionam
  • não há as informações de atrasos em tempo-real

 

(para quem não percebe patavina de alemão):

  • Instalação:
  • no browser do tlm, ir a http://mobile.bahn.de
  • escolher a 4ª linha, DB Railnavigator
  • sacar os 184KB e instalar (deve ser compativel com a maior parte de tlms que corram java)
  • ao abrir , ir ao penúltimo menu “Einstellungen” e em “Sprache” escolher a nova língua

P.S. : A aplicação pode ser de uso virtualmente grátis se forem capazes de, em casa, “enganar” o tlm para que use a net dum computador e dessa forma carregarem todos os horários inicialmente. Eu tenho um sony ericsson e uso o SDK para me ligar via bluetooth.


In my quest for following biketour (that this year I only spectate), I  dived into the new water of the web and been trying to keep swimming into the same direction 😉

The intention was to have an online diary about what  is happening and happened with biketour, having context (mainly geo, as it is a travel project after all), but making it in way that most of it will “run automatically” 😉

The history:

Well, last year I setup twitter accounts for the group and we use it internally and as a way of updating the website. While twitter is still the best free “tool” in what comes to multi-recipient “on-the-road” sms communication, it also works great for bridging that with the online world. When I resumed this year the “IT task” of biketour, one of my goals was to have twitter better integrated on the website and later on a blog.

Till now, one of the annoyances of twitter is it’s lack of a group feature. This makes the following/followers managing too repetitive, but also noticeable by offering no native combined feeds. One work around was to rely on 3rd parties to aggregate this streams.

I played already last year with Yahoo Pipes, and created a mashup of the organization process feeds. But this year I wanted to address other problems: getting the full text of each “tweet” (?) , and adding geo-references automatically whenever there would be locations mentioned.

 

Titter full text updates on a new stream :

This pipe is the result of my tests. It scraps , fetches each “tweet” permalink page for its full text , only when there’s “…” in the description (trying not to hammer more their poor servers). I made it ask for a RSS (not user account) because I wanted to feed it with another pipe that provides several accounts feeds, a solution around the close of “with friends”. I’m open to suggestions on how to improve it 😉

 

Auto post stream geo-referenced (geonames) – for wordpress with geopress and FeedWordPress :

What about combining that feeds with the blog (wordpress)? And why not doing it automatically? That’s was possible with “FeedWordPress” (WP-o-Matic had some problems and FeedWordPress supports deleting at once all the posts imported, which is great for when you are still testing around).

But what if you could also leave all that work of geotagging each post in the hands of the “machines” ?  I am using geopress (geomashup was appealing but had more problems with themes and other plugins) for the geo part , and wanted to turn “tweets” that mention locations in a point in the database and attach a map in the bottom. It’s possible with simple text tags that you can insert on the post itself.

So, I went and tried patching up geonames rsstogeorss (being used a lot within other pipes) with (Find nearby populated place / reverse geocoding) to get the place name (a bit redundant, but geonames doesn’t identify the place found in rsstogeorss). Then, if anything found it would be added to the title and description.

I’m not so satisfied with this results:

  • geonames results are worse than expected (and I wasn’t waiting for miracles), but the worse is that when you restrict it to a specific country it thinks that most items are referring to that country indeed. (maybe there’s something involved with feeding it with more than 20 items?)
  • yahoo pipes engine itself seems to mess with non-ASCII . While I have something like “Santarém” showing up right in an element, when I copy it as a variable to build a string the text gets messed up

Would love to hear your impressions…


Depois de termos oferecido os nossos mapas e outra informação geográfica ao cuidado da Microsoft (em vez de se optar por melhorar a solução open-source e tornar mais conteúdos abertos), chega agora a primeira vísivel actualização de conteúdos no Virtual Earth

  • Lisbon, Portugal
  • Faro, Portugal
  • Aveiro, Portugal
  • Braga, Portugal
  • Coimbra, Portugal
  • Guimaraes, Portugal
  • Leiria, Portugal
  • Porto, Portugal
  • Setubal, Portugal

    Estas são as cidades com ortofotos de alta-resolução, de ângulo inclinado onde se pode ver muitas fachadas a partir de 4 pontos diferentes.


    Virtual Earth / Live Maps: New Birds Eye and 3D cities in Virtual Earth. Portugal, Italy, and Austria get big updates.

  • Página seguinte »